LANY by LANY「my new favorite goodbyes album」

Da banda californiana que vos apresento só conheço LANY, o seu self-title album, que partilha (e descreve) alguns dos meus sentimentos no que diz respeito a relacionamentos e até a amizades que acabam precocemente. Ou que acabam de forma completamente éfemera e, ao que parece, sem uma despedida concreta. 


a summer outfit + what's on my mind

Não é todos os dias que sinto que o universo está em perfeita sincronia comigo. Ás vezes é difícil aturar-me a mim mesma. Gostar de mim. Aceitar quem sou. Saber que posso melhorar, mas aceitar que o crescimento pessoal acontece ao seu próprio ritmo. Que não posso saltar para um período da minha vida em que imagine que já tenha tudo no sítio, a cabeça no lugar certo. Tenho que me mentalizar que não tenho um poder sobrenatural que faça avançar o tempo. 

E, em função disso, tenho que aceitar-me assim. Incompleta. Porém, segura de que o futuro é o dia de amanhã. E é só com o amanhã que me devo preocupar. O que acontecerá daqui a um ou dez anos é indiferente quando nos encontramos no agora, a aproveitar o que temos e com quem estamos. Mais importante é o que sinto neste micro-segundo. Mais nada. 

julho'17

Julho trouxe a serenidade de um verão com poucas responsabilidades - é só a carta, certo? - e com algumas ideias a experimentar e aventuras a conhecer. Foi um mês de veicular laços e de explorar afetos, de rir muito das parvoíces entre amigos e de segredar intenções em locais públicos, ignorando os olhares dos outros e desejando que não passassem de turistas indiferentes à nossa língua. 

Julho tornou-se num mês dedicado à introspecção e ao sossego que se encontra ao virar da página de um livro numa noite amena de verão.  E tão bem que soube...