junho'17

Junho foi o mês de abraços e de jantares onde estive rodeada de pessoas de que verdadeiramente gosto. Foi também o mês de uma época de exames a doer, o que acabou por exigir serenidade, concentração e uma acrescida preocupação com os estudos. Tenho perfeita noção de que, por vezes, temos que abdicar de passar mais tempo a fazer o que queremos e de que gostamos para conseguir atingir outros objetivos e que não é por pura sorte que lá se chega. 

Penso que seja esta a principal razão por ter posto o mês de Junho numa espécie de pausa, o que inevitavelmente acabou por influenciar tanto o blog, como uma data de outras coisas das quais tive de prescindir. Mas não me queixo. Só queria ter estado mais presente aqui e de ter mais (e melhor) conteúdo para vos trazer. Por enquanto, trago-vos um pequeno número de coisas que tive tempo para apreciar verdadeiramente. 



 // MÚSICA  
FOR EMMA, FOREVER AGO de BON IVER (2007) //
A pouco menos de um mês para o décimo aniversário deste magnífico álbum de Bon Iver, senti a necessidade de o recordar ao passar produtivas tardes de estudo a deliciar-me com a sua sonoridade. 


 // ON TV  
THE HANDMAID'S TALE (2017- ) //
Após o fim dos meus exames tive alguns dias sem planos e de descanso total no conforto do meu sofá para ver  The Handmaid's Tale, recomendada pela Ana - em conjunto com outras séries.

Esta grande produção da Hulu, trata uma distopia no presente, onde um regime totalitário cristão impôs-se face ao governo dos Estados Unidos da América, criando um novo país: a República de Gilead. É contada por Offred, uma mulher cuja vida lhe foi roubada após ser decretado que todas as mulheres férteis - que não tivessem um estatuto elevado dentro daquela sociedade, ou seja, que não fossem casadas com um homem de tal estatuto - seriam handmaids. Isto é, mulheres como Offred, não têm quaisquer direitos e só servem para produzir filhos para as famílias ricas cujas mulheres não conseguem engravidar - a série passa-se num período conturbado no campo da natalidade, uma vez que raros são os casais que conseguem engravidar. É uma série que retrata de forma feia a opressão num regime patriarcal, uma vez que o homem detém todos os direitos e as mulheres não têm um papel ativo nos diferentes campos sociais (até estão proibidas de ler, por exemplo). 

Confesso que sou bastante sensível em relação aos tópicos que The Handmaid's Tale aborda e que de raiva, angústia ou de pura tristeza chorei com algumas cenas. Se forem como eu e gostarem de temas controversos e irreverentes irão adorá-la, pois tudo está bem feito: a história mantém sempre a mesma linha e é impossível detetar uma única falha no plot - tudo é explicado eventualmente -; os atores demonstram-se competentes e envergam os seus papeis com fervor; e a cinematografia desta série deixa-vos impressionados - o tom vermelho tem aqui um simbolismo único. Recomendo.

"Nolite te bastardes carborundorum, bitches."

 // BOOKSHELF  
O LIVRO DO HYGGE de MEIK WIKING // 
Sei que já falei dele na última publicação - que podem ler aqui -, mas este livro tem realmente um significado especial para mim, pois simboliza o início de uma nova aventura que espero ver ser concretizada nos próximos meses - fingers crossed


ilustração The Handmaid's Tale por lclrgsl

7 comentários:

  1. Com a sensação de que vou apreciar e muito a série! E esta sugestão veio mesmo a calhar, uma vez que SKAM disse adeus :( Já agora, o que achaste do fim?
    beijocas

    ResponderEliminar
  2. Não estou a perceber o porquê de não teres falado do Melodrama, já que foi o melhor deste mês. Nem me digas que ainda não o ouviste, que não te perdoo! Não mesmo!!!

    Que julho seja incrível, Inês. E que recarregues todas as baterias e mais algumas, porque mereces!

    R: Obrigado pelo comentário <3

    ResponderEliminar
  3. R: Por acaso foi difícil encontrar a série. Os últimos dois episódios tive de ver em inglês (fiz download do episódio) porque não aguentava esperar haha Mas no MrPiracy já deve estar completa. Foi lá que vi os quatro primeiros :D

    VAI JÁ OUVIR!!!

    ResponderEliminar
  4. Sobre SKAM, partilho da tua opinião! Ainda assim, senti que soube a pouco. Queria mais da série, acho que é uma série tão diferente das outras, tão fiel à nossa realidade que é pena ter sido limitada a uns 4 capítulos. Ainda assim, espero revê-la um dia na mtv ou então no netflix.

    Já agora, onde estás a ver Handmaid's Tale? :)

    ResponderEliminar
  5. Adorei!

    http://iameleine.blogspot.com/
    http://www.instagram.com/iameleineblog/

    ResponderEliminar
  6. Fiquei curiosa em relação à série, tem sido difícil para mim acompanhar uma, mas talvez dê uma oportunidade a esta.
    O design dos teus posts é sempre tão apelativo e harmonioso!!!
    Beijinhos. :)

    ResponderEliminar